Related Posts with Thumbnails

O problema com os parabenos

25 de fevereiro de 2008 |

Qual o problema dos parabenos? Por que são tão mal falados? Apresento neste post uma breve abordagem sobre os polêmicos parabenos, os conservantes mais comuns e amplamente utilizados em produtos HPC e alimentos.


Quimicamente, os parabenos são ésteres do ácido p-hidroxibenzóico, apresentado na figura ao lado, na qual o grupo R representa os diferentes grupos alquil associados à sua esrutura. Os mais comuns atualmente são metil, etil, propil e butilparabeno, sendo que o metil é mais hidrofílico e o butil o mais lipossolúvel – propriedade que os torna fáceis e convenientes de se usar.


Usualmente utilizamos mais de um parabeno em uma formulação, para que haja o maior espectro e a melhor solubilidade em quaisquer fases do produto, o que explica o amplo uso essa classe de conservantes. No entanto, eles também podem ser utilizados em associação com outros conservantes quando se deseja maior espectro de ação antimicrobiana.


Consumidores e mercado pedem formulações livres de parabenos (paraben-free). Nesse ponto surge um grande problema: as formulações que antes eram bem preservadas com parabenos, agora necessitam de outros conservantes – às vezes mais de dois – para prevenir a proliferação microbiana, a contaminação e proteger o consumidor de infecções ou reações por causa de produtos contaminados. Eles podem ainda proteger a integridade e estabilidade de um produto cosmético, uma vez que os microrganismos podem alterar tais propriedades.

Para entender a história, voltaremos ao ano de 1984, quando a CIR (Cosmetic Ingredient Review Board) determinou que o metilparabeno, o propilparabeno e o butilparabeno eram seguros para uso em produtos HPC de acordo com as boas práticas de fabricação e a um percentual de até 25%, mas usualmente utiliza-se de 0,01 a 0,35% dependendo do país onde o produto será comercilizado.

Em novembro de 2003 a segurança do uso dos parabenos foi posta em cheque. Até que em 2005, após a avaliação dos limites de exposição e uso, foi determinado que não havia riscos à saúde de mulheres ou crianças associados aos parabenos. A CIR, então, decidiu que não era necessário alterar a regulamentação desses conservantes.

No entanto, em 2004, um estudo independente relatou que foram detectados traços de parabenos em tumores de mama e levantou as propriedades, mesmo que fracas, similares aos estrogênios exercidas pelos derivados do ácido p-hidroxibenzóico, bem como a conhecida influência dos estrogênios no câncer de mama. O que os autores se esqueceram de avaliar foi a presença de parabenos nos tecidos normais. Além disso, o FDA demonstrou, baseado em um outro estudo independente, que essas substâncias apresentam atividade semelhando a hormônios significativamente inferior, especialmente nas baixíssimas concentrações utilizadas nos produtos HPC.

Infelizmente, a divulgação desses estudos foi o suficiente para que a história caísse no senso comum da população e do mercado e os parabenos foram taxados como sendo perigosos para a saúde. O mesmo que ocorreu com a lanolina e o óleo mineral em tempos anteriores. Hoje o que se observa é que qualquer um escreve algumas linhas sem qualquer embasamento técnico-científico, divulga na internet dizendo que não se deve utilizar produtos que contenham parabenos e citam inúmeros dos quais eles são parte. O que é, no mínimo, injusto e impróprio, pois assim nós, formuladores, temos que retirar os melhores conservantes de nossos produtos e manter o cosmético nosso de cada dia com o mesmo preço e com a mesma eficácia conservante.

Opinião do autor: assim como outros tantos profissionais da área – inclusive com muito mais prestígio que eu, não admito o apelo de cosméticos livres de conservantes. Não assumo esse risco aos meus clientes. Pois se a água contamina se não for conservada, o que dirá um produto 60 a 80% composto de água e acrescido de lipídeos, carboidratos e, algumas vezes, proteínas e aminoácidos... Temos o meio de cultura ideal para a sobrevivência e proliferação de microrganismos.Atualmente o FDA determinou que não há qualquer risco ou ameaça à saúde oferecido pelos parabenos. E ele será o primeiro órgão a voltar atrás caso apareça qualquer controvérsia.Para finalizar, espero que esse post não fique muito desconexo, pois estou trabalhando na tradução de um grande conteúdo técnico – em breve disponibilizados neste blog, o qual tem me tomado bastante do meu pouco tempo livre. E acredito que qualquer dúvida eventual será sanada no próximo post, uma revisão sobre os conservantes e alternativas aos parabenos em produtos cosméticos.


Saiba mais:

http://en.wikipedia.org/wiki/Parabens

http://organicanews.com/news/article.cfm?story_id=5

http://www.cfsan.fda.gov/~dms/cos-para.html


Fontes:
MORANTE, N.
The problem with parabens. Acesso em 21/02/2008.

52 comentários:

Leandro disse...

parabens pela iniciativa, o blog é interessante para nos, famaceuticos, ja que trata de assuntos que estao sempre em voga. abraços.

Anônimo disse...

Muito bom o nível técnico e ético das considerações. Mesmo que a complementar em pesquisas, tais considerações explanam bem para leigos e profissionais, evitando preconceitos tanto quanto desconhecimentos sobre a precaução que sucita.
Merece louvor a iniciativa do autor pela utilidade inquestionável e pela amenidade no alertar sobre a importância do tema.
Altamiro Sathler Filho-CRMMG 10119. Ginecologista-Homeopata-Medicina Chinesa...

guida disse...

Evito usar produtos com parabenos, mas nunca tinha ouvido falar mal sobre eles, apenas comecei a observar o que havia em comum nos produtos que eu usava, e que causavam alguma reação negativa. Ex:Usava um shampoo, condicionador e creme de hidração nos meus cabelos, mas com uma semana de corte apareciam pontas duplas nos fios. Também usei um creme hidratante nas mãos, e ao invés d'elas ficarem macias, começaram a escapelar. Resolvi olhar o que estes produtos tinham em comum,e o q encontrei foi "parabenos", desde esta data não uso mais produtos q contenham "parabenos"na fórmula. Se foi coincidência não sei, mas não tive mais problemas com pontas duplas ou mãos escapelando.

Tamiris disse...

Trabalho numa loja de cosméticos, onde um dia uma senhora me disse que ela não compra produtos que contenham parebenos porque segundo ela viu na televisão que são cancerígenos srá verdade isso??

Tamiris disse...

Trabalho em uma loja de cosméticos muito famosos na região do interior do estado de São Paulo, outro dia me deparei com uma senhora olhando a embalagem do produto e dizendo que não usava produtos que continham parebenos porque segundo ela, disse que viu na televisão, que os parebenos são cancerígenos. Será verdade isso?

Fabiana disse...

Gostei do artigo: parabéns pela lógica e pelo embasamento teórico que foi usado. No volume imenso de informações a que estamos submetidos muitas vezes os fundamentos são deixados de lado mas você não se fez por lograr e buscou a base de tudo.

Paulo disse...

Hoje em dia tem um monte de esquisadores que para ganhar fama inventam que algum produto quimico ja usado a anos faz mal para saude. Ou esta a serviço de uma grande corporação! ou esta querendo aparecer. Falarma ontem que ovos era o vilao...hoje ja nao é mais...mas se for para congfundir a opinaio ja temos muitos pesquisadores fazendo isso...nao tenho nada contra e nem a favor...

Fatima disse...

Descobri dia 21.05.2009 que sou alergica ao parabeno. Passei 3 meses de desconforto, a base de remedios, e com uma dermatite e urticária irritantes. Acho que os parabenos podem continuar constando nos produtos, desde que tais produtos deixem claramente expostos em sua composiçao a presença da substancia. Estou enfrentando dificuldades porque a apresentacao grafica da lista de substancias nos produtos aparece sempre em minúsculas letras, impossível as vezes de ser lida. O consumidor tem o direito de saber o que esta usando.
Fatima Mota - Maceio(AL)

Ana disse...

Concordo plenamento com o Fabio Mota, os parabenos causam reações alérgicas em diversas pessoas em todo o mundo mas isso não é divulgado uma vez que se trata de um conservante com um custo muito menor do que outros para a industria farmaceutica, alimenticia e cosmetica. Caso não saibam os parabenos possuem função antimicrobiana e como já é sabido o uso indiscriminado de produtos antimicrobianos tem colaborado com o crescimento de cepas bacterianas cada vez mais resistentes. Quanto a comparações como o caso do ovo pode-se dizer que são no mínimo infelizes, os parabenos são produtos sintéticos cujos efeitos não são totalmente conhecidos ou divulgados.

Gustavo disse...

Fatima, eu a aconselho a carregar consigo uma lupa para que consiga ler a composição dos produtos. Afinal de contas trata-se de sua saúde.

Ana, se cada produto que causa alergia tivesse que ser tirado do mercado não existiria mais indústria. Os dados de reações alérgicas aos parabenos, corantes e fragrâncias (os principais causadores de alergias) são muito bem divulgados pela comunidade científica.
Eu, sinceramente, não entendo a diferença entre um parabeno e um ácaro causarem reações alérgicas. Por que ninguém massacra os ácaros e faz motins boicotando as indústrias téxteis? Por que apenas os parabenos são os vilões? Não vejo ninguém apoiar a proibição/restrição do formaldeído notadamente irritante e carcinogênico.

Renata disse...

Gustavo, eu não sou farmacêutica, sou só consumidora. Mas essa falácia - como tantas outras - pra mim é estratégia pra quem já produz pra um mercado saturado e não sabe mais o que fazer pra se destacar entre tantos concorrentes. Apelação!

Seria bom se mais gente tivesse coragem de colocar assim abertamente a real dimensão dessas coisas.

Abraço

Ricardo disse...

Tenho uma empresa que comercializa cosmética, natural, mas que contém parabenos. Neste caso, creio que não se trata de difamação, porque as pessoas têem de enfrentar a realidade de que hoje tudo é inseguro e tudo faz mal. Ora com uma realidade destas, mais vale nem sair de casa. Mesmo em casa podemos tropeçar numa cadeira...
Quero com isto dizer que, independentemente do produto conter ou não parabenos, de fazer mal ou não, caramba, não existirão outros problemas na nossa vida para além de cosmética?
Será que álguem já pensou que o peixinho grelhado que come no restaurantezinho da esquina, já poderá ter uma semana, mas que nos é sempre apresentado como sendo do maior grau de frescura?
Com parabenos ou não, os produtos funcionam e fazem aquilo que é suposto fazerem: dar-nos uma imagem de orgulho no espelho.
Afinal de contas, quem é que quer viver para sempre?

Luciana disse...

Eu só utilizo produtos que não contenham parabenos. Sofro de enxaquecas, e, como xenoestrógenos que são os parabenos, intensificam as minhas crises.

metalf disse...

Boa noite, gostei muito do artigo sobre parabenos, eu estou para me formar no meu curso de química e o meu TCC irá ser sobre parabenos, gostaria de saber se alguém poderia me disponibilizar algum material, eu já tenho alguns artigos, mais quanto mais melhor. grato deixo meu e-mail.metalf161@hotmail.com

Aprendendo aos poucos disse...

Boa noite, nunca havia lido sobre os parabenos e nunca soube que eles tinham sido tachados como vilões.
Eu já havia percebido que há produtos livres de parabenos, vem escritos bem na frente, nunca quis saber o por que. Até que comentando sobre drogas e que os jovens de hoje estão usando aerossol para dar uma "onda" resolvi ver as substâncias químicas, quando fui ver o q era cada um.
foi assim que conheci o parabeno, mas você olhar o composto químico e ver um benzeno.... eu fiquei um pé atrás... mesmo que a concentração seja pequena

Gustavo disse...

Pâmella,
não é bem assim. O paracetamol e o ácido acetilsalicílico também apresentam anel benzênico e nem por isso são vilões.
Acho interessante que a maioria dos estudantes de nível superior têm preconceito com moléculas que têm benzeno. Seu corpo está cheio deles.
O chocolate que, principalmente, as mulheres adoram comer em grandes quantidades também tem moléculas com benzeno.

Maria de Fátima disse...

Posso afirmar com experiência prória que esses conservantes, parabenos, quase me deixaram careca, e até descobrir que não podia usar nenhum shampoo com esses conservantes, quase fiquei sem cabelo. Estava há quase quatro anos, preocupada sem saber o que fazer, troquei vários shampoos, do mais caros ao mais baratos, Fui a muitos dermatologista,na mesma sequencia, dos mais famosos aos mais simples, e nada, queriam até fazer biopcia, no meu coro cabeludo. Um dia resolvi usar um shampoo que me disseram que além de tratar não tinha substâncias qui
quimics tão pesadas, e foi a minha salvação. Até o condicionador pude usar sem é claro, os tais parabenos. Vou até dar uma dica sem quere fazer propaganda, mas fazendo, porque é uma linha maravilhosa. Não vou dizer o nome,porque tenho até receios que o produto vá aumentar de preço ou sumir das prateleiras, sabe como é né, o poder da concorrência, não sabemos onde vai. Estou pensando em mim mesmo, porque só eu sei o que sofri. Prescisam descobrir como eu. Não é dificil é só ver o rótulo. Boa sorte, para quem está na mesma situação, mas já dei a dica, façam uso.

Cristiana disse...

Ola Gustavo, achei o post interessantissimo, mas como sou cabelereira quero saber qual a relação do formol com o metilparabeno que o substitiu nos produtos cosmeticos usados para reslizar escovas progruessivas, já que o formol é cancerijeno. Quero saber tambem se é correto o uso de parabenos nesses produtos com a função de alizar os cabelos e se há risco de cancer para as mulheres que fazem escova progresiva como há com o formol?

Gustavo disse...

Cristiana,

vale a pena consultar o seguinte post: http://www.cosmeticaemfoco.com.br/2009/09/ativos-alisantes-em-cosmeticos.html
Ele aborda exatamente as suas dúvidas sobre alisantes.

Att,

Gustavo.

Julio disse...

Se os parabenos são inofensivos, por que existe uma gama de cosméticos indicando nos rótulos não conter parabenos?

terezinha disse...

minha filha fez uma escova PORTIER que é a base de propilparabeno. Desde então já teve faringite, dermatite no rosto e nas partes intimas (acho q é pq escorre na hora do banho). está tomando anti alérgico, antibiótico e passando pomada. Está difícil de melhorar.

Gustavo disse...

Julio,

Excelente pergunta! Vamos às respostas: não haver comprovação de sua ação maléfica não diz que uma substância é inofensiva.

Várias empresas destacam não conter parabenos por causa dessa polêmica que há em torno desses conservantes.

Teve gente me falando que já existe comprovação das ações maléficas dos parabenos, mas quando peço que me enviem os artigos para eu ler e postar, nunca recebo a resposta. Eu continuo aguardando os resultados das pesquisas científicas.

Gustavo disse...

Terezinha,

pelas reações que você fala. É mais provável que seja uma reação ao formol que tem na escova e o cabeleireiro escondeu de vocês a informação. Se você der uma lida nestes dois posts abaixo, vai ver que propilparabeno não é um ativo alisante. Atenção: informe-se para não ser enganada por profissionais inescrupulosos que não se preocupam com a sua saúde e a de sua família.

http://www.cosmeticaemfoco.com.br/2009/09/os-produtos-para-alisamento-capilar.html

http://www.cosmeticaemfoco.com.br/2009/09/ativos-alisantes-em-cosmeticos.html

NandaDemi disse...

Eu sou totalmente alérgica ao parabeno, é horrível! Ainda mais porque a maioria dos produtos possuem parabeno

tany disse...

Ola Gustavo, achei o post muito interessante mesmo, e claro que irei ver o seu blog + a fundo. Sou comerciante de cosmeticos, e comprei um livro chamado " o pequeno livro verde da beleza" da autora Sarah Callard e por mais que tenta-se não o fazer, eu entrei em paranóia com o que li, dei comigo a ler os rótulos de tudo quanto é produto, e todos contêm parabenos, outros tambem têm PEG dioxido de titanio etc, ora uma pessoa fica doida, já estava a pensar deitar tudo fora e ir a uma loja de produtos naturais comprar novos cremes! Mas de facto os eu post ajudou muito a pensar 2 vezes, de facto acho que os casos de alergia, são apenas casos de alergia, ha quem seja alérgico ao chocolate, a amendoins etc e ninguém fez campanha contra esses produtos...felizmente não sou fácil de fazer alergias, mas claro quem é tem de ter atenção...

Dorothy disse...

Eu li a respeito dos parabenos no livro "Anticâncer", sobre um médico que supera um tumor na cabeça e uma recidiva, tendo escrito o livro 15 anos depois de ter sido "condenado" a 8 meses de vida na época. Ele fala de algumas mudanças nos hábitos, vale a pena a leitura. abçs.

Sereia Dri disse...

Interessante achar isso aqui pq ouvi falar muito mal desse componente e estava sempre escolhendo xampus que não o contivessem. É um post-artigo que mesmo sintético lança uma luz esclarecedora sobre o tema, até porque nem se fala muito disso no ciberespaço em nossa língua. Bravo!

dayt disse...

ha interessante seu post mas infelizmente tenho alergia ao parabeno e achar um cosmetico livre dessa substancia é difícil.

Gustavo disse...

Dayt, no Brasil ainda é bem difícil, pois os parabenos são opções muito boas e baratas para a conservação dos produtos. Geralmente os produtos que não contém parabenos apresentam este apelo no rótulo principal, mas você tem que procurar em farmácias e perfumarias, porque em supermercados e grandes varejistas (como Lojas Americanas) você não vai encontrar mesmo.

Aliny disse...

Fiz uma escova com propilparabeno, e o resultado foi ótimo, porém sempre pesquiso e achei este site falando desse componente, e também depois de três dias depois do uso apareceu no meu rosto ao redor dos olhos umas pintinhas bem pequenas vermelhas, parece uma reação alérgica, e eu sou muito alérgica. Bem quero saber se além desses sites citados até agora onde posso saber mais desta substancia e onde também consigo ver a lista de agentes químicos alisantes aprovados pela Anvisa, já que este que usei disse ser, mas pelo que vejo não é. Obrigada!

Gustavo disse...

Aliny,

Eu acredito muito mais que a sua escova com resultado ótimo continha formol. Mas para tirar a dúvida e não brincar com saúde que é coisa muito séria, procura o seu dermatologista ou alergologista e pede para fazer um teste de alergia incluindo os parabenos e o formol para comprovar se o que você tem é alergia ou foi apenas uma dermatite.

Aliny disse...

Creio que não tinha formol, realmente eu faço apenas p/ tirar o volume do meu cabelo pois ele já é liso mas tem ondulações e não tem peso então o resultado do liso é fácil de obter mesmo. Fiz duas vezes a London Express e agora a Portier Fine, onde apareceu a irritação que ainda não sei se foi dela. No rótulo delas não diz ter formol e a pessoa é de confiança e ví os produtos usados. Por isso queria saber se são liberados pela Anvisa e queria um site para obter essas informãções, pois podem não ter formol mas estarem usando outros componetes proibidos. Agradeço pela resposta!

disse...

Esta opinião também é valida para o uso de parabenos como alisante em escovas definitivas? Se vocês puderem me responder ficarei grata. Estou com birrinha e medo de usar tais produtos no meu salão de beleza, e ir contra meus principios de integridade moral e a responsabilidade e zelo pela saúde das minhas clientes!

disse...

Outra coisa. Na escola que frequentei, a professora usava o produto da Portier Fine (vc ja deve ter ouvido falar) para alisar cabelos. Quando eu manuseava o produto, sentia meus olhos arderem bastante e um incomodo forte no nariz, igual quando a gente chega muito perto de um vidro de amônia. E sentia a cabeça pesada o tempo todo, querendo começar a doer..
vc sabe me dizer se a exposição aos parabenos causa esses sintomas mesmo, ou a escova continha na verdade era formol?

Gustavo disse...

Lô, provavelmente a escova continha formol. Os parabenos não têm poder de alisamento, são apenas conservantes.

Melissa disse...

Em relação a essa controversia sobre o uso dos parabenos, sugiro a leitura do livro Anticâncer, de um renomado médico europeu. Sei que não há um consenso científico em relação ao risco do uso do parabeno, e também sei que muitas pesquisas são financiadas por indústrias farmacêuticas, que tem interesse no lucro. Cada um tem autonomia de fazer suas escolhar, e or via das dúvidas, prefiro seguir o princípio da precaução!

caldeira disse...

É simples, façam o teste de contato para cosméticos daí saberam se têm ou não alergia àquela substância.

rose santos disse...

legal nao conhecia o parabeno agora estou por dentro de tudo

Nathalia Melo disse...

Seu texto é muito bacana, não tenho nada contra o uso de parabenos. a mais ou menos 10 dias descobri que tenho alergia muito a parabenos e formoldeidos, depois de 5 meses de tratamento sem resultados. Não tenho nada contra eles, se são bons conservantes é porque estão em quase todos os produtos. Mas eles me preocupam bastante porque tive ferimentos nas mãos por causa do uso. Mas fazer o unico jeito que sobrou é realmente ler a composição de tudo

VYG disse...

E qual o problema em que não exista mais industria? Vejo essa argumentação por várias vezes. Por que não deve haver cosméticos de menor duração e sem parabenos? Se o argumento é que devemos manter a industria e ainda com uma única fonte de pesquisa, então mantenho minha desconfiança com relação aos parabenos. É possível desenvolver produtos fora da grande industria, com menor tempo de duração, mas sem os "efeitos colaterais" de produtos com parabenos na fórmula, não?
A pergunta é: o uso de parabenos a longo prazo é prejudicial? Preferiria uma explicação cientifica direta. E não uma preocupação em manter industria. Aliás, muito sinceramente, sou mais ir para produtos produzidos fora da lógica das grandes industrias do que o contrário. Mas, lógico, quando possível.

Gustavo disse...

Melissa, obrigado pela dica!
Caldeira, é por aí mesmo. Temos que buscar aconselhamento médico antes de tomar decisões ou assumir alergias que não existem.
Rose, muito obrigado pelo seu comentário!

Gustavo disse...

Nathalia, infelizmente a alergia nos coloca mesmo à margem do mercado. Mas procure bem, pois sempre há empresas menores interessadas nesses nichos de mercado. Sou alérgico a filtros solares e tenho aqui as marcas que posso usar. São produtos geralmente mais caros que os comuns de prateleira, mas quanto vale a nossa saúde? Não é mesmo?

Gustavo disse...

VYG, eu prefiro um produto perservado que um produto "sem conservante". Já morreu gente por conta disso. E foi aí que a polêmica em torno dos parebenos ganhou força. A União Européia já divulgou seu parecer científico sobre os parabenos, você pode ler e ver o que acha.

Polo UAB disse...

Sou alérgica à parabeno. Não consigo controlar pois verifico que 90% dos produtos cosméticos, alimentícios e farmacológios tem o conservante. Vivo à base de antialégicos e vez por outra descubro que até esses medicamentos contém parabeno.É realmente dificil de controlar.

Unknown disse...

As considerações são técnicas e não conclusivas. O autor, embora expert no assunto, não tem nenhum trabalho, até então, determinante que possa afirmar o que disse, apenas teceu sua opinião, baseado no que foi informado por entidades, as quais, não podem nem devem ser levadas a sério, vêz que Órgãos fiscalizadores podem ou não ser uma Instituição séria.
Vivemos a época da corrupção financeira e também de valores, razão pela qual, prefiro não comer nem usar absolutamente nada que traga o cancerígeno PARABENO.
Já foi provado na Europa, que ele é um agente altamente cancerígeno, o que nos espanta, agora, os Estados Unidos, que não estão bem., economicamente,alardear, que o parabeno não é cancerígeno.
Confirmar isso seria uma verdadeira desgraça a industria americana de alimentos , cosméticos e farmaceutica.
Jamais iriam confirmar isso.

J.T.Silva

Unknown disse...

Gustavo, sou editora de beleza e saúde e achei seu post e os comentários interessantíssimos. Gostaria de falar mais com vc e até mesmo entrevistá-lo. Sou editora contribuinte da Vogue, Glamour, Revista do Studio W, revista da Le Lis e estou lançando um site sobre beleza. Muita gente, assim como todos aqui, estão com o que chamamos de pé atrás. faço parte da turma dos sensíveis e alérgicos a quase tudo. No meu caso, a grande maioria das colorações de cabelo e, o pior, a quase totalidade dos antibióticos (aliás, até agora não descobri qual posso usar e já passei por dois choques). Já viu que o assunto me interessa mesmo. Como posso fazer para falar com vc por e-mail?

Alipio Martins disse...

INTERESSANTE! OS ELOGIOS SÃO DE PESSOAS QUE COMERCIALIZAM O MESMO "ATIVO CONSERVANTE" QUE O SEHOR DESTS BLOG.
VAI UMA DICA: coloque na fórmula do produto que o senhores comercializam,
ativo como: "Fenoxietanol" (Phenoxietanol) conservante que oferece alta efetividade contra bactérias Gram-positivas e negativas, aprovado globalmente pela Indústria Cosmética dos Estados Unidos, Europa e Japão, indicado pela classe de médicos dedicada a dermatologia em razão da suavidade e da segurança toxicológica; livre de "parabenos" e matérias-primas geradoras de formaldeidos.

Gustavo disse...

Alipio, interessante seu comentário. Antes de prosseguir é importante esclarecer que nós aqui não comercializamos nenhum produto ou matéria-prima e somos isentos de patrocínadores que nos pressionariam a escrever opiniões que não são as nossas próprias. A empresa onde trabalho atualmente, por exemplo, já baniu internamente o uso de parabenos há mais de 10 anos, mesmo após a recente comunicação da União Europeia sobre esses conservantes.
É importante, ainda deixarmos claro que parabenos não são liberadores de formaldeído. Pois isso poderia causar ainda mais confusão na cabeça dos consumidores.
Em 2008, o fenoxietanol também esteve em risco de ser banido na União Europeia. Graças a essas polêmicas, vários estudos são realizados e toda a comunidade científica ganha com isso.
Publicamos essa semana uma atualização sobre parabenos: http://www.cosmeticaemfoco.com.br/2012/10/parabenos-mitos-e-verdades_30.html
Longe da intenção de esgotar o assunto, estamos acompanhando a movimentação e postando notícias e atualizações sempre que as evidências ultrapassam a polêmica.
O formol que é comprovadamente um agente cancerígeno tem sido utilizado por mulheres e homens em todo o país, que se desdobram em argumentos em favor desse ingrediente declaradamente responsável por mortes em todo o mundo.
Seguimos nosso compromisso de trazer informação e deixar que cada um forme sua própria opinião sobre o assunto. Acreditamos na troca de conhecimento e não na imposição de conceitos.

Virgínia Castellões disse...

Gustavo, tudo bom ?! Adorei o site, sou maquiadora e tenho um blog, comprei o batom de uma marca e lá dizia que não continha parabeno, vim pesquisar e te achei. Citei seu blog e deixei o link para as minhas leitoras!
Meu blog: http://www.vivicastelloes.com/2013/07/batom-roselissima-da-quem-disse-berenice.html

Abraços!

Gustavo disse...

Obrigado Virgínia! O Leandro escreveu uma atualização do assunto no ano passado, você viu?
Só clicar nesse link: http://goo.gl/Oc0Zc

Fábia Lima disse...

Infelizmente, quando surgiu o cigarro, muitos médicos fumantes inclusive, anunciaram que não fazia mal à saúde. Precisou de mais de 50 anos para que fosse declarado a ligação direta entre o tabaco e o câncer de pulmão. Até então , muitas vidas foram ceifadas desnecessariamente e muitos encheram de seus bolsos com altos lucros. A indústria de não está preocupada com a sua saúde e sim com qt o irá lucrar. O que o homem faz é sempre pensando nisso, no dinheiro. Enquanto isso nossas crianças estão as adoecendo Cada vez mais cedo (cancer), nossos idosos tendo doenças degenerativas e os recursos naturais sendo contaminados a todo momento. Nossa medicina virou um comércio cujo lema é remediar ou amputar (cirurgia). Pouco se fala em prevenção com recursos gratuitos da natureza, pq as fórmulas artificiais podem ser patenteadas - gerando lucros exorbitantes aos laboratórios– enquanto que os recursos naturais não podem ser patenteados pois são gratuitos e não gera lucro algum. Portanto, mesmo que vc queira usar ou comer algo orgânico, vai lhe custar os olhos da cara, pois a indústria já criou o slogan de orgânico em muitos de seu produtos e os preços são praticamente o dobro dos envenenados. Se puder, evitem tudo o que a indústria disser que '' não foi comprovado que cientificamente''. Protejam sua família o qto puder desses lojistas!

Gustavo disse...

Fábia,
justamente por concordar com sua visão é que continuamos apoiando os parabenos até que se prove o contrário. Eles são usados há mais 60 anos e houve apenas um caso de câncer relatado em que supostamente um parabeno (cujo uso já foi banido e nunca foi dos mais utilizados) seria co-responsável.
As crianças estão com câncer e cada vez mais cedo por uma associação de fatores. A exposição maior a produtos químicos que nos primórdios é um deles, mas não o único. A alimentação da população mundial rica em gorduras e açúcares associada ao sedentarismo é talvez o principal fator. A exposição ao sol sem fotoproteção, outro. O excesso de radiação pelo uso de aparelhos eletrônicos também é fator.
Ainda seguindo seu raciocínio sobre o cigarro, trocar os parabenos por produtos novos ultrainovadores seria cair no mesmo erro. Anunciar aos quatro ventos que uma nova molécula pode ser usada como conservante e não causa danos aos seres humanos nem ao meio ambiente não é a melhor informação a ser dada sobre uma substância recém-descoberta. Todos passariam a usar e ninguém estaria livre de em 10, 20, 30 anos surgirem casos de câncer associados a esse novo ingrediente. Vale lembrar ainda que os venenos que temos disponíveis são de origem 100% natural. Existem plantas que não podemos consumir, pois são tóxicas aos seres humanos. Portanto, nem tudo o que é natural necessariamente faz bem.
Não há comprovação científica de câncer associado aos parabenos. Mas tenha certeza de que se essa informação for comprovada cientificamente, divulgaremos tão logo tomemos conhecimento. Nosso compromisso é com a informação qualificada. Digulvamos o que temos embasamento técnico-científico e possamos referenciar. Festejamos a proibição dos testes em animais e mais ainda os avanços na proibição do formol. Não somos indústria nem temos interesses comerciais pode detrás das informações. Obrigado pelo interesse no Cosmética em Foco e pelo seu comentário.

Postar um comentário